Radio Utopia Player

Snail apresenta "Não há espiga"

“Não há espiga” é o terceiro single do álbum de estreia dos Snail, banda oriunda do Porto que, depois de alguns anos a escrever em inglês, decidiu expressar-se na língua de Camões. Tema da autoria de Vítor Peixeiro (voz), “Não há espiga” aborda a eterna imunidade política no nosso país e pelo mundo fora. Qualquer semelhança com a realidade não é coincidência. “Não há espiga” aplica-se aos frequentes crimes cometidos pelos nossos líderes, dos quais toda a gente tem conhecimento e, apesar disso, a justiça nunca consegue castigar os criminosos.

O vídeo de “Não há espiga” é a sequela do tema ”Carro Azul” que iniciou a utilização da mascote da banda e que deu asas à criação de um mundo paralelo à nossa realidade, baseando-se em estereótipos da sociedade de forma divertida e satírica. Desta feita, há a inserção de novas personagens, o candidato político/ dirigente e a sua equipa. Juntamente com ele, aparecem os “Gorilas” (guarda-costas), a secretária, a amante e o Juiz. O vídeo demonstra a falta de escrúpulos do “Patrão” à qual nem a personagem principal se safa. O final é trágico pois, ao contrário da realidade o mal vence sobre o bem quase sempre...

A música dos Snail é uma mescla de várias influências que resulta num som dançante com boas vibrações e, por vezes até, musculado. Os ritmos animados aliados a letras cómicas e, por vezes, sarcásticas esperam trazer algo de novo e fresco ao panorama musical português. Editado inicialmente em formato digital, “Snail” vai ser reeditado em breve, incluindo extras como temas gravados ao vivo e um pequeno livro da BD SNAIL.

Ouvir Aqui

Newsonic e a ânsia urgente de “Novos Rumos"

Abram alas para os Newsonic, quinteto brasileiro de rock alternativo que se estreia entre nós com a urgente necessidade de mudança expressa em “Novos Rumos”, poderoso cartão-de-visita mergulhado na melhor influência de contemporâneos como Alter Bridge, Three Days Grace ou Stone Sour.

O tema, extraído do seu álbum de estreia com o mesmo nome, dá o mote à digressão portuguesa que a banda realizará já no próximo mês de Setembro com o apoio da Music For All.

Nascidos em 2011, os Newsonic são oriundos da localidade de São Gonçalo (Rio de Janeiro) e constituídos por Anderson Khross (voz e teclados), Erik Cholodovski (guitarras), Lucas Freitas (guitarras), Flávio Almeida (contrabaixo) e André Almeida (bateria), surgindo com a intenção de dar vida a material autoral focado nas mais diversas influências dos seus membros, que passam do rock alternativo à música electrónica, com letras que retratam temas contemporâneos e comuns a todos os indivíduos.

Após um longo período de composição em 2014, a banda lança o seu debute, “Novos Rumos”, de forma totalmente independente. O álbum conta com a produção do conceituado produtor carioca Celo Oliveira e trata-se de um disco conceptual que narra a história de Marco, Alice e dos seus desencontros – um conto de queda e ascensão. O álbum foi apresentado num espetáculo realizado no Saloon 79, no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro, em Novembro de 2014.

O registo de estreia foi aclamada pela crítica especializada, valendo à banda um contrato com a MS Metal Agency, através do selo Alternative Music Records, responsável por uma série de grupos ligados ao universo do rock.

Paralelamente, os Newsonic realizam ainda trabalho enquanto banda de tributo, apresentando um alinhamento repleto de sucessos de bandas e artistas como: Europe, Survivor, Journey, Whitesnake, Bon Jovi, Guns N’ Roses, Skid Row, Silverchair, Pearl Jam, entre outros.

Em 2016, a banda inicia os trabalhos de composição do seu novo álbum, “V.O.R.A.X.”, que procurará evidenciar a união das mais distintas influências dos seus membros. As canções apresentam um peso maior comparativamente ao disco anterior, além do timbre, melodia, harmonia e ritmo modernos bem trabalhados, sem sacrificar o apelo comercial.

Em 2017 chegam por fim à Europa através do selo da Music For All, que os levará numa digressão portuguesa no mês de Setembro.

Ouvir aqui

Ana Free apresenta videoclipe para California

Ana Free apresentou ontem o videoclipe para California, single que sucede a Killing Kind e a Say It To Me, extraídos do último EP – The Weight of The Soul – lançado em 2016.

California é uma canção que se destaca pela história que retrata e pela forma como foi produzida. O produtor, Rodrigo Crespo, pediu que a demo desta canção fosse gravada em estúdio num só take mas como a gravação correu tão bem, acabou por ser usada desta forma e sem edição final. É este pormenor que faz com que a musicalidade do tema California se torne tão único – por um lado o facto de ter sido uma gravação espontânea e por outro lado, pela forma como absorve a essência de uma atuação ao vivo.

O video, realizado pelo argentino Mariano Dawidson, foi filmado, ele também, num só take numa roda gigante em Los Angeles. Por um lado, os tons e as cores frias do video marcam uma tendência artística característica do trabalho de Ana Free, por outro lado, o contraste entre o parque de diversões e o visual mais obscuro da artista reflete os conflitos retratados nesta canção.

Ouvi Aqui

O Natal de Miguel Angelo

Uma canção de Natal é para todos os Natais, refazendo uma máxima popular, "Um Natal é quando uma canção quiser". "O Teu Natal" é uma canção lançada originalmente por Miguel Ângelo em 2013 e destinada a essa eternidade.

No espírito dos contos de Dickens, retrata os tempos mais conturbados que vivemos ultimamente, na perspectiva positivista - contaminada pela Quadra - de que tudo sendo passageiro, o nosso objetivo sejam as pessoas e não as coisas.

Ouvir Aqui

Ricardo de Sá apresenta o EP "Epifania"

Em formato digital a 25 de Novembro

Simultaneamente Ricardo de Sá lança os videoclips dos cinco temas do EP.

• Pessoa Errada

• Não Te Quero Mais

• Histórias

• Fantasia

• És Tu

“EPIFANIA” usa a música ao vivo para fazer entender e compreender melhor o conteúdo do álbum “Histórias”.

As palavras e os sons ganham mais força e permitem ter uma experiência próxima de um concerto. É a forma de encerrar esta história e começar a contar uma nova.

Ouvir Aqui

 

Terno Rei ou a pop sonhadora de São Paulo

Terno Rei e é um quinteto paulistano formado em 2010 por Ale Sater (Voz e Baixo), Bruno Rodrigues (Guitarra), Greg Vinha (Guitarra), Luis Cardoso (Bateria) e Victor Souza (Percussão). Dá uma mão ao rock que se diz alternativo, outra a um modo intrigante de cantar em brasileiro, outra à pop sonhadora (“Dream Pop” para os comuns) e as restantes agarradas à introspecção.

Este mês partilharam duas novas canções, “Sinais” e “Criança”, mas foi sobre a segunda que recentemente divulgaram um vídeo. Ambas integrarão o disco “Essa Noite Bateu Com Um Sonho” que será editado até ao final do ano no Brasil e no início de 2017 aqui em Portugal.

Com a mesma serenidade com que escutamos as suas canções, prosseguimos este texto para dar a conhecer um pouco mais da banda que já conta na sua curta carreira com três EPs e um LP. No ano 2011 editaram de forma independente “1” e passados dois anos “Metrópole”. Rapidamente foram identificados no radar da Balaclava Records (editora e produtora sediada em São Paulo) e, dois anos depois, editam o primeiro longa duração “Vigília”  e no ano seguinte o EP “Trem Leva Minhas Pernas”.

Depois de algumas parcerias pontuais, este é o primeiro passo oficial que damos no início de uma entusiasmante relação de trabalho e admiração com a Balaclava Records. Mesmo que estreita e de madeira, há muito que sonhamos construir uma ponte segura Portugal – Brasil com dois sentidos e estamos agora em condições de anunciar a parceria entre as duas editoras que terá vida pública a partir de 2017.

Ouvir Aqui

Não é novidade é o novo single e novo vídeo

João Pequeno apresenta o tema “Não é novidade”, primeiro single do seu disco de estreia a ser editado no início do próximo ano.

João Roquette Almeida cresceu no Porto numa família de 6 irmãos. Começou cedo a criar as suas melodias na guitarra do irmão e mais tarde descobriu o mundo do Hip Hop através do graffiti. Apaixonado por esta cultura formou a sua primeira banda de Rap onde começou a escrever as suas próprias letras e instrumentais.

Com o tempo juntou a guitarra aos beats Boom-Bap e o resultado é uma invulgar sintonia entre instrumentos orgânicos e o groove groove do Hip Hop. Nascia assim um rapper de guitarra na mão!

O seu single “Verdade ou consequência” tornou-se um enorme sucesso na internet com mais de 3 milhões de visualizações e milhares de partilhas nas redes sociais. A música foi adotada como hino por uma geração que se revê nas suas mensagens.

No último ano João Pequeno tem escrito para vários artistas nacionais e participou no tema “Primeira Vez” dos D.A.M.A..

“Não é Novidade” conta uma parte da sua história aliada a uma sonoridade contagiante.

Ouvir Aqui

Xerife com novo EP

Os Xerife, lançaram o novo EP “Historias” composto de cinco novos temas que fundem o rock, o Pop, e o Blues. A Laura e o Marcelo estiveram á conversa connosco para nos falarem um pouco mais do projeto desta banda de Salvaterra.

Ouvir entrevista
Pág. 1 de 2
Go to top