Radio Utopia Player

Newsonic e a ânsia urgente de “Novos Rumos"

Abram alas para os Newsonic, quinteto brasileiro de rock alternativo que se estreia entre nós com a urgente necessidade de mudança expressa em “Novos Rumos”, poderoso cartão-de-visita mergulhado na melhor influência de contemporâneos como Alter Bridge, Three Days Grace ou Stone Sour.

O tema, extraído do seu álbum de estreia com o mesmo nome, dá o mote à digressão portuguesa que a banda realizará já no próximo mês de Setembro com o apoio da Music For All.

Nascidos em 2011, os Newsonic são oriundos da localidade de São Gonçalo (Rio de Janeiro) e constituídos por Anderson Khross (voz e teclados), Erik Cholodovski (guitarras), Lucas Freitas (guitarras), Flávio Almeida (contrabaixo) e André Almeida (bateria), surgindo com a intenção de dar vida a material autoral focado nas mais diversas influências dos seus membros, que passam do rock alternativo à música electrónica, com letras que retratam temas contemporâneos e comuns a todos os indivíduos.

Após um longo período de composição em 2014, a banda lança o seu debute, “Novos Rumos”, de forma totalmente independente. O álbum conta com a produção do conceituado produtor carioca Celo Oliveira e trata-se de um disco conceptual que narra a história de Marco, Alice e dos seus desencontros – um conto de queda e ascensão. O álbum foi apresentado num espetáculo realizado no Saloon 79, no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro, em Novembro de 2014.

O registo de estreia foi aclamada pela crítica especializada, valendo à banda um contrato com a MS Metal Agency, através do selo Alternative Music Records, responsável por uma série de grupos ligados ao universo do rock.

Paralelamente, os Newsonic realizam ainda trabalho enquanto banda de tributo, apresentando um alinhamento repleto de sucessos de bandas e artistas como: Europe, Survivor, Journey, Whitesnake, Bon Jovi, Guns N’ Roses, Skid Row, Silverchair, Pearl Jam, entre outros.

Em 2016, a banda inicia os trabalhos de composição do seu novo álbum, “V.O.R.A.X.”, que procurará evidenciar a união das mais distintas influências dos seus membros. As canções apresentam um peso maior comparativamente ao disco anterior, além do timbre, melodia, harmonia e ritmo modernos bem trabalhados, sem sacrificar o apelo comercial.

Em 2017 chegam por fim à Europa através do selo da Music For All, que os levará numa digressão portuguesa no mês de Setembro.

Ouvir aqui

Pedro Nascente como nunca antes o ouvimos

 Pedro Nascente não pára de surpreender.

Primeiro edita um EP de estreia, “A Princesa”, com uma maturidade rara e invejável. Agora desbrava rotas nunca antes por si navegadas em “Hold On”, poderosa balada de arrependimento e paixão, cantada integralmente em inglês, tal como o álbum que se prepara para editar, “Back To The Start”.

 

Com a alma do rock, os instrumentos do folk, influências do country e a letra digna de uma música pop este é um tema que simultaneamente nos acalma e inquieta, levando-nos a percorrer experiências passadas.

 

Pedro Nascente é um orgulhoso filho do distinto ano de 1997, tendo nascido em Porto Alegre, no Brasil. Transmite o seu talento através da música, caminhando nas estradas do Folk/Rock, do Blues e do Country.

 

Começou a produzir e gravar em casa.

O seu percurso no mundo da música teve início em 2015 quando se aventura no lançamento do seu primeiro disco. A gravação e produção decorreu na sua própria habitação, local onde desde 2013 criava faixas sob o pseudónimo Peter Frost. Com o título “Old Lagoon” as 14 faixas cantadas em inglês foram distribuídas física e digitalmente.

 

Atraído pela actualidade politica começa a cantar em Português

Até que, subitamente, a actualidade política e social atraíram Pedro para marés nunca antes navegadas: cantar em língua portuguesa. Esses polémicos acontecimentos foram conjugados com o avançado grau dos estudos de Pedro Nascente na área de Produção Fonográfica, o que o levar a sonhar mais alto e a dar o passo seguinte: a gravação e produção profissional dos seus próprios temas. Entre novas versões de temas antigos e outros criados de raiz nessa mesma altura surgiu o álbum “Delírios Sob A Noite Sem Cor” – um disco pessoal e intenso onde o Brasil, e os brasileiros, são o(s) protagonista(s) ao longo de 11 temas folk gravados em apenas três meses.

 

No final de 2015 realizou-se não só ao lançamento do disco como também as primeiras apresentações ao vivo. Com a chegada de 2016 surgiu um novo desafio: uma residência mensal no espaço Olé Armazém Mexicano, desta vez em parceria com Franco Bittencourt. A dupla levou a cabo o espectáculo “Delírios, Folk e Rock” com reportório do próprio Nascente e reinterpretações de grandes clássicos intemporais do folk, rock, blues e country.

 Nova fase da carreira

O Verão de 2016 marca uma nova fase na carreira de Pedro Nascente: muniu-se de Gabriel Ost e de Roger Drumm e formou a sua nova banda de apoio, os Lençóis Freáticos, cabendo ao primeiro a bateria e ao segundo o contrabaixo e as vozes, assumindo ele próprio a voz, a guitarra e a boa e velha harmónica.

 

Uma nova sessão de gravação e produção, conduzidas uma vez mais pelo próprio, viu nascer o EP “A Princesa”, que chegou a Portugal através da chancela da Music For All. Num registo algo distante daquele com que se estreou em 2015 surgiram cinco temas de folk/rock psicadélico onde a guitarra marcou o compasso e as letras acutilantes captaram toda a nossa atenção.

 

Volta a cantar em Inglês

Conhecido pelo seu arrojo, Pedro Nascente surpreende novamente tudo e todos apostando por completo na língua inglesa no seu próximo registo discográfico. “Hold On” é, assim, o primeiro avanço de “Back To The Start”, álbum onde a sua língua materna não teve lugar mas onde não falta o folk/rock que ostenta como a sua maior imagem de marca.

Ouvir Aqui

Flutters Music n.º 5

Flutters Music n.º 4

Flutters Music n.º 3

“Dancers” é o 2º single do álbum “There is a World Outside That Door” editado em Outubro de 2016.

São 10 temas rock para ouvir de seguida e que não deixam ninguém indiferente!

“O álbum está muito mais rock do que pop, que até aqui marcava mais pontos na nossa sonoridade. Continuamos numa onda muito "british" com o uso de alguns sons eletrónicos, e os pianos "saltitantes" cheios de efeitos que são já marca do que fazemos continuam presentes”.

Ouvir Aqui

''Este chão que pisamos'' é o titulo do novo disco de Pedro e os Lobos, que sublinha um caminho musical esteticamente marcado pela interligação de várias culturas e linhas musicais na busca de uma sonoridade própria.

Tendo as guitarras como figura central das suas composições, Pedro Galhoz continua a mostrar neste disco a sua paixão pela mistura de diferentes culturas, pelas bandas sonoras, pelo deserto e pelos clássicos da música americana que convivem aqui em harmonia com a lusofonia, na palavra e no sentimento.

''Este chão que pisamos'', é composto por sete temas originais em que os convidados Adolfo Luxúria Canibal (Mão Morta), Jorge Benvinda (Virgem Suta), Viviane, Joana Machado, Marisa Anunciação e Sónia Oliveira dão voz às palavras de Pedro Galhoz.

Para lá das canções com voz, este disco conta ainda com um tema instrumental “ Andaluzia” que pertence à banda sonora da curta metragem “ Luto branco”.

''Este chão que pisamos'' é mais um capitulo numa caminhada musical marcada pela vontade de fazer música entre amigos e consequentemente mostrar o resultado desse trabalho em disco e no palco.

 

Próximos Concertos

11 de Março |  Évora, Teatro Municipal Garcia de Resende

06 de Maio | Famalicão, Casa das Artes

The Code apresentam o EP “Estrada”

The Code apresentam o EP “Estrada” em formato digital.

Dois anos após a primeira atuação em público na Ilha de São Miguel (Açores) de onde são oriundos, The Code apresentam o primeiro trabalho de originais, “Estrada”.

Percorrendo vários estilos, desde o funk ao pop, passando pelo rock e pelo jazz, os 3 temas (“É o Amor”, “Hope Song”, “What’s Wrong With You”) que compõem o EP não irão deixar ninguém indiferente.

The Code são:

Marisa Oliveira (voz), Félix Medeiros (guitarra), Amadeu Medeiros (bateria), Hugo Medeiros (teclados) e André Ferreira (baixo).

The Code, um nome a fixar.

Ouvir Aqui

O Natal de Miguel Angelo

Uma canção de Natal é para todos os Natais, refazendo uma máxima popular, "Um Natal é quando uma canção quiser". "O Teu Natal" é uma canção lançada originalmente por Miguel Ângelo em 2013 e destinada a essa eternidade.

No espírito dos contos de Dickens, retrata os tempos mais conturbados que vivemos ultimamente, na perspectiva positivista - contaminada pela Quadra - de que tudo sendo passageiro, o nosso objetivo sejam as pessoas e não as coisas.

Ouvir Aqui

Pág. 1 de 5
Go to top