Radio Utopia Player

3 Curtas-Metragens portuguesas na 67ª Berlinale

As curtas-metragens “Altas Cidades de Ossadas” de João Salaviza, “Coup de Grâce” de Salomé Lamas e “Cidade Pequena” de Diogo Costa Amarante foram selecionadas para a 67ª edição da Berlinale – Festival Internacional de Cinema de Berlim, que terá lugar entre 9 e 19 de fevereiro na capital alemã.

Os três filmes, distribuídos pela Agência da Curta Metragem, integram a competição Berlinale Shorts concorrendo, juntamente com 23 curtas de 19 países diferentes, ao Urso de Ouro e Urso de Prata. Trata-se de uma presença extraordinária da produção nacional na competição de curtas-metragens da Berlinale, que o próprio festival destaca em comunicado, e que conta, ainda, com um quarto filme português a concurso: “Os Humores Artificiais” de Gabriel Abrantes.

O júri desta competição é composto por Christian Jankowski, artista e professor alemão, Kimberly Drew, curadora, escritora e gestora de redes sociais do Metropolitan Museum of Art de Nova Iorque, e o chileno Carlos Núñez, programador de festivais de cinema e produtor de filmes.

Lisboa recebe a estreia do evento único

Durante quatro dias, Lisboa recebe a estreia do evento único de celebração da arte sonora no espaço público

Durante 4 dias, o Jardim da Tapada das Necessidades é o espaço privilegiado para o primeiro evento de arte que pretende trazer a debate uma variável tão importante, como negligenciada, no planeamento dos lugares: o som.

Instalações, performances, concertos, percursos sonoros, serão inúmeras as obras nacionais e internacionais que pretendem a interacção entre os criadores e obras e a audiência através da fruição, aprendizagem e reflexão sobre o ambiente acústico que nos rodeia.

Porque é urgente escutar o mundo à nossa volta para que ele se torne cada vez mais sustentável, a primeira edição do Lisboa Soa está marcada de 1 a 4 de Setembro de 2016, no Jardim da Tapada das Necessidades

Co-produzido pelos Produtores Associados e a EGEAC, está inserido na programação das festas da cidade, Lisboa na Rua 2016.

A Visitar - Mercado dos Escravos

Monumento classificado de interesse público

O Mercado de Escravos em Lagos mantém viva na memória uma época triste da história da humanidade em que seres humanos eram vendidos como mercadoria. Com um novo conceito, baseado em Realidade Aumentada e Virtual, a exposição conta o passado através da tecnologia do futuro. A escravatura em Portugal teve início em 1443 e foi abolida em 1869.

O edifício construído no local onde funcionou o que se presume tenha sido o primeiro Mercado de Escravos da Europa quatrocentista, em Lagos, foi classificado como monumento de interesse público.

 

Go to top